Do onze ao catorze de a a z foi construído num momento de retrospeção sobre o percurso da aprendizagem em design de comunicação, que tomou forma num elenco de ações; mais especificamente, numa lista de 365 verbos distribuídos por ordem alfabética, convertidos em pequenas tiras de papel que alteram a dinâmica original da página ao folhear o objecto, mas sem interferir (à primeira vista) no formato estável do livro.

A publicação reflete sobre as constantes mudanças sentidas ao longo dos três anos da licenciatura, em que aprender design fez (e faz) parte de todos os momentos dentro e fora da sala de aula. Neste pequeno livro guarda-se toda a agitação de aprender e recordar e constata-se que todas as ações e emoções se sobrepõem, constantemente.