O texto «O universo como espelho» em Palomar de Italo Calvino é o ponto de partida e também o ponto de chegada para esta curta metragem, onde a personagem tenta compreender o seu próprio universo através das ações que vai presenciando.

Em Insight, tudo o que vemos deixa de ser apenas aquilo que se observa na rua para passar a ser parte da personagem. O quotidiano torna-se o ponto fulcral da narrativa, dando especial importância à forma como as ações acontecem, mais do que a própria ação em si. Para além daquilo que é observado, a personagem tece um conjunto de reflexões perante o que vê, questionando-se acerca da sua posição perante o outro. Observação, reflexão, espelho e introspeção são os conceitos que melhor resumem a perspetiva aqui enunciada.